Eu sou formado em engenharia e administração de empresas, e sempre trabalhei com gestão e investimentos, bancos em New York e Capital Empreendedor no Brasil.

 

Nasci e me criei em Recife até quando eu e minha Amada nos casamos. Cinco anos antes, ainda adolescentes, fomos bolsistas hóspedes de nossas respectivas famílias americanas por doze meses, convivências que se estendem gratificantes e presentes. Depois de casados, passamos a maior parte da nossa vida adulta de volta nos EUA, onde atualmente residimos ao lado dos nossos filhos, genro e netos. Durante o período 2001-2018, moramos em Belo Horizonte e São Paulo, eu Sócio co-Fundador da FIR Capital, na gestão de investimentos em pequenas e médias empresas, e ela co-Fundadora e Presidente do Instituto Hartmann Regueira, na gestão de investimentos sociais.

 

Sempre fui leitor ávido, e me considero CURIOSO OBSERVADOR e ESTUDANTE da biomedicina e das terapias integrativas.

 

Temos, em nós e nas nossas famílias, vários casos de doenças graves, genéticas, crônicas e terminais, males do corpo e da mente, bem como de gratificantes manejos de recuperação. Tornei-me curioso sobre as patologias e suas etiologias, e motivado a perscrutá-las. Meu pai e meu irmão foram médicos à antiga. Aprendi a admirá-los como exemplos.

 

Os avanços tecnológicos da medicina alopática moderna são fascinantes. Em paralelo, houve um paulatino afastamento da visão transdisciplinar a partir das raízes causais dos desequilibrios corpo-mente-espírito. A medicina integrativa tradicional tem assumido de volta esse seu papel central. Cecilia e eu somos exemplos de como, juntas, a medicina alopática moderna e as terapias integrativas, adequadas a cada caso, contribuíram decisivamente para nossa recuperação extraordinária.

 

Dito isso, um ALERTA:

Nosso quadro de colaboradores reúne profissionais de tecnologia da informação, gestão de dados e de jornalismo.

Conteúdos que se apresentam em todas as nossas comunicações são unicamente de natureza generalista e informacional, e devem ser entendidos como tal, i.e., são apenas a nossa opinião, LEIGOS que somos, limitadas a contextos particulares, específicos, únicos.

 

Enfatizamos que cada um dos nossos assinantes deve sempre consultar os profissionais da medicina, seus médicos, sobre seus próprios casos idiossincráticos. Nada que porventura seja abordado aqui deverá ser entendido como alternativa ou substituição aos tratamentos e procedimentos da medicina alopática moderna. Nada aqui deve ser entendido como aconselhamento, diagnose ou tratamento de natureza médica. Na existência de perguntas, dúvidas, qualquer sintomatologia, consultem definitivamente os seus médicos e os outros profissionais da saúde que lhes sejam pertinentes.

 

Boas Energias!

 

Marcus U Regueira